346

Theatro Circo inicia o ano com Tindersticks e um cartaz recheado

| Dezembro 7, 2022 5:26 pm

Como é habitual, a Noite de Reis marca o início da programação do novo ano no Theatro Circo, e em 2023, no dia 6 de janeiro, a compositora e artista Maria Reis, conhecida por ser uma das fundadoras das Pega Monstro, apresenta em Braga o disco Benefício da Dúvida, e terá a acompanhá-la um coro formado pelas artistas Arianna Casellas, Ela Li, Leonor Arnaut, Nëss, Puçanga e Sallim. No dia seguinte, 7 de janeiro, os Tindersticks (na foto) chegam a Braga para comemorar os 30 anos de carreira da banda britânica com o disco Past Imprefect: The Best of Tindersticks 92-21.

No dia 14 de janeiro, sábado, segue-se o cidadão mais conhecido da cidade Vila Nova de Gaia, David Bruno. Depois dos sucessos de O Último Tango em Mafamude, Miramar Confidencial e Raiashopping, o produtor também conhecido como dB, traz a Braga o novo disco, ou melhor, uma audionovela com participações de Rui Reininho, Gisela João e Marlon Brandão, de nome Sangue & Mármore.

Os portuenses Sereias apresentam, no dia 20 de janeiro, sexta-feira, o segundo disco de originais, Sereias, sucessor de O País a Arder numa noite que promete incendiar janeiro. No dia seguinte, 21 de janiero, em mais um espetáculo do ciclo Casa de Partida, a residência artística do pianista Luís Magalhães, trará a Braga uma apresentação em formato quinteto com os músicos Jumi Kang (violino), Gareth Charles Lubbe (viola d’arco), Boris Brovstyn (violino) e Bertil Thedeen (violoncelo).

No fim de semana seguinte, sexta-feira, dia 27 de janeiro, a dupla de músicos Luís Fernandes e Joana Gama apresentam There’s no Knowing, mais recente trabalho colaborativo do duo de piano e eletrónica. No sábado, dia 28 de janeiro, o grupo Sete Lágrimas apresenta o projeto Diáspora o qual mergulha nos géneros e formas musicais dos cinco continentes.

No primeiro fim de semana de fevereiro, dia 3 de fevereiro, sexta-feira, o espetáculo de teatro “Língua”, criado por Cátia Pinheiro, José Nunes e Diogo Bento, apresentam uma peça em formato bilíngue que utiliza a Língua Gestual Portuguesa como veículo principal de comunicação. No dia seguinte, 4 de fevereiro, inicia-se o ciclo “Abacate, Limão Doce, Tangerina”, dedicado a obras completas contra a escravidão e o racismo, que terá como convidado o artista e compositor Luca Argel, e apresentará o espetáculo “Samba de Guerrilha” o qual junta música, história e imagem para juntos contarem o caminho deste género musical até ser aceite socialmente.

No sábado, dia 11 de fevereiro, o Theatro Circo recebe a peça “Casa Portuguesa”, do encenador Pedro Penim, e produção do Teatro Nacional D. Maria II, com a presença do elenco Carla Maciel, João Lagarto, Sandro Feliciano e Fado Bicha. Nos dias 17 e 18, o Conservatório Gulbenkian de Braga apresenta “Kings and Queens”, numa versão alternativa e renovada do espetáculo “Rei Leão”.

“As árvores não têm pernas para andar” é o espetáculo criado pela pianista e compositora Joana Gama para contar aos mais novos a história do mundo maravilhoso das árvores ao som do toy piano, de 23 a 25 de fevereiro. Após apresentações no Teatro da Trindade e Teatro Sá da Bandeira, e uma tour pela América Latina, 25 de fevereiro, sábado, é a data escolhida pelo músico e compositor Valter Lobo para apresentar o mais recente disco Primeira Parte de Um Assalto.

Bill Callahan, um dos nomes incontornáveis da música americana, regressa a Portugal para apresentar o novo trabalho ytilaeR no dia 15 de abril e a mítica peruana Susana Baca, comemora 50 anos de carreira musical com a apresentação do disco Palabras Urgentes no dia 7 de maio.

Bilhetes à venda a partir de hoje, dia 30 de novembro, na bilheteira do Theatro Circo, locais habituais e na loja online e na bilheteira online.

FacebookTwitter